top of page

O Descanso Merecido

Mariana era uma mulher muito dedicada ao seu trabalho. Ela era professora de matemática em uma escola pública e adorava ensinar seus alunos. Ela sempre se esforçava para preparar as melhores aulas, corrigir as provas, participar das reuniões e atender aos pais. Também fazia cursos de aperfeiçoamento e estudava novas metodologias de ensino.

Mas Mariana estava cansada. Sentia que seu trabalho consumia toda a sua energia e tempo. Não tinha tempo para cuidar de si mesma, nem para se divertir com seus amigos e familiares. Estava sempre estressada, ansiosa e irritada. Tinha dificuldade para dormir, se alimentar e se exercitar. Sofria de dores de cabeça, de estômago e de coluna.

Um dia, Mariana teve um colapso. Ela não conseguiu ir ao trabalho, nem sair da cama. Chorou muito e se sentiu incapaz de enfrentar seus problemas. Assim percebeu que estava sofrendo de cansaço mental, um estado de exaustão emocional e mental causado por excesso de trabalho, estresse e cobranças.

Dessa maneira decidiu procurar ajuda profissional. Foi ao médico, que lhe receitou alguns remédios e lhe aconselhou a tirar um período de licença médica. Além disso foi ao psicólogo, que lhe ajudou a entender as causas do seu cansaço mental e lhe ensinou técnicas de relaxamento e autoconhecimento.

Mariana aproveitou esse tempo para se reconectar consigo mesma e com as pessoas que amava. Assim passou a fazer atividades que lhe davam prazer, como ler, pintar, cozinhar e ouvir música. Com isso também passou a cuidar melhor da sua saúde física, dormindo bem, se alimentando melhor e fazendo caminhadas ao ar livre. Logo percebeu que a natureza era uma grande fonte de paz e harmonia.

Mariana aprendeu a valorizar o seu descanso, um direito fundamental de todo ser humano. Dessa forma entendeu que o descanso é essencial para recarregar as energias, recuperar o equilíbrio e manter a qualidade de vida. Com tudo o que houve, aprendeu a estabelecer limites, priorizar suas tarefas e dizer não quando necessário.

Mariana voltou ao trabalho depois de alguns meses, mas com uma nova atitude. Assim continuou sendo uma ótima professora, mas sem se sobrecarregar ou se sacrificar. Por isso passou a ter mais tempo para si mesma e para as pessoas que amava. Após sua mudança, se sentiu mais feliz, mais leve e mais realizada.

Fim.



1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios

Obtuvo 0 de 5 estrellas.
Aún no hay calificaciones

Agrega una calificación
bottom of page